É Preciso Mudar a MENTALIDADE.

  • Por Welton De Oliveira
  • 29 de junho de 2016

Hoje é um bom dia para mudar a mentalidade acerca do rock nacional.

Entenda que alguém que diz que vai emagrecer só consegue o resultado se de fato ela mudar sua mentalidade em relação aos seus hábitos, ou seja, muda a alimentação, pratica exercícios, dorme ao menos 8h por noite e assim de médio a longo prazo ela chega nos quilos que tanto deseja ter.

Mas se a mudança não começar na mente dela, nada vai acontecer, ela será vencida pela preguiça, pela tentação da má alimentação, vai procurar dietas milagrosas e no final, apenas tentou mudar por fora quando na verdade só se muda por fora quando de FATO SE MUDA POR DENTRO, ou seja, sua mentalidade muda e faz com que todo o resto mude junto.

Nós, por hábito, temos atitude de louvar e consumir o rock gringo, somos contemplados por  ouvir e ver tanta coisa boa, isso é demais, normal, porém, por que não damos esse valor ao rock brasileiro, por que é tão difícil prestigiar uma nova banda, um novo artista, por que torcemos o nariz?

Eu não entendo essa mentalidade, e o mais triste é que é exatamente essa maneira de pensar que faz o rock nacional ficar no gueto, ou ancorado nos anos 80. Essa guerrinha infantil entre bandas que reflete em como o público consome o som nacional, é um câncer a ser aniquilado, só levar ao palco o que vêm lá de fora não é saudável, o público acostuma os ouvidos ao “embromechion” dos vocalistas e a forma gringa de executar as músicas, aí depois de 15 canções em inglês a banda solta uma em português, que muito possivelmente, é mais do mesmo, ou seja é tocar “Meu erro”, por exemplo.

A mentalidade da banda tem que estar no português, não estou censurando que compõe em inglês, seja livre, porém a maioria absoluta das bandas escrevem em português, mas no seu repertório de covers  há 50 canções gringas, como o público vai identificar a banda em outra língua, mesmo sendo a sua língua mãe?

Bizarro isso, mas a mentalidade está em cantar o que é de fora, agora aconselho as bandas buscarem rever seu repertório, equilibrá-lo, soar como uma banda de rock nacional, mudar a própria mentalidade para mudar por fora, que nesse caso é a percepção do público em relação ao som do artista ou da banda em questão.

Isso vai ajudar as letras ficarem melhores e mais maduras, a forma de cantar ficará mais pessoal e identificada, os arranjos ficarão coesos com a melodia e o público vai entender o que a banda se propõe a fazer no palco.

Anterior «
Próximo »

Radialista, cantor, compositor, roteirista, escritor e comerciante.

Deixe seu comentário

Papo Rock! – Mais Recentes

Arquivos