OLHO DA CARA – Contos Mal-Cantados

  • Por Jefferson Tichovitz
  • 21 de junho de 2016

Sempre que eu chego no show dos mauaenses do OLHO DA CARA, os Srs. Jonston Guerra, Diogo Almeida e Willians ‘O Urso’ Caires me tratam pelo nome e me chamam pra um uísque (barato) antes de começar as Gigs. Eles são simpáticos, boa-praça e muito, muito talentosos!

O Power Trio de Rock and Roll clássico e essencial tem uma correria muito grande pela região da Grande SP e do ABC e acaba de lançar o seu primeiro LP, denominado “Contos mal-cantados”.

Tem uma pegada muito peculiar que me remete ao psicodelismo do fim dos anos sessenta, mas com um quê de iê-iê-iê e jovem guarda com uma pitada de modernismo indie à lá The Strokes!

Gosto demais das construções melódicas, das letras rebuscadas, do jeito diferentão de falar de amores, bebedeiras, afetos e comportamento humano.

O trio do OLHO DA CARA iniciou sua jornada pelo mundo da música promovendo suas próprias apresentações num brechó da mãe do Diogão, numa vila lá de Mauá/SP, e assim foram angariando uma horda de fãs que os seguem em cada show deles onde quer que aparecerem!

O disco traz uma sonoridade Vintage, como é o que propõe o visual dos meninos e as fontes onde bebem. Guitarras com o mínimo de saturação e efeitos, nos mostrando timbres de cordas completos em todos os espectros.

Diogo expõe seu baixo pulsante combinado com transições quase jazzísticas de batera do Sr. Willians, que embalam os versos e poemas cantados lindamente pelo Sr. Jonston, que é o guitarrista.

A apresentação ao vivo é uma experiência à parte que hipnotiza e nos remete à pergunta – “Péra… esses são aqueles três meninos de Mauá que ‘tavam comigo agora há pouco? Meu Deus, eles são estrelas!!! Hahahaha…” .

Os caras tem carisma e desenvoltura de palco,  tocam todos os sons quase que teatralmente. Tratam o público com um carinho especial e você se sente em casa logo de cara. Este é o Olho da Cara

OLHO DA CARA

https://www.facebook.com/bandaolhodacara/?fref=ts

As melhores faixas de “CONTOS MAL-CANTADOS” são:

Roda Gigante :: um som vibrante com um timbre mais sujo de guitarra com um refrão pra sair cantarolando na rua alegremente com aquela construção inteligente e uma das melhores letras já feitas aqui por terras tupiniquins.

Trezentos Defeitos :: tem uma pegada de modern blues que me soa bem familiar ritmo vibrante, radiofônico sem ser cafona.

O Blefe :: a referência ao bom e  velho ‘truco’ do domingo à tarde retrata o cassino dos pobres, com uma pegadinha de tropicália e (acreditem) ska! Esse som é simplesmente genial.

Quem ouvir vai lembrar do Erasmo, do Ronnie Von, mas também vai ver os Strokes e o Franz Ferdinand, e não vai esquecer do Elvis e dos Beatles!!!

Anterior «
Próximo »

Deixe seu comentário

Papo Rock! – Mais Recentes

Arquivos